Viena: dicas de viagem na cidade-música

A capital austríaca é vista como uma cidade sofisticada, imperial e elegante. Associamos Viena à sua história artística e intelectual representada por grandes artistas como Mozart, Beethoven e Freud e imaginamos os seus palácios burgueses, bailes e valsas e os espetáculo na Ópera.

Foi a cidade inspiração para muitos músicos, por isso é considerada a capital mundial da música, mas apesar de manter as suas características mais clássicas e de décadas esta cidade modernizou-se e acompanhou a evolução europeia.

Situada às margens do rio Danúbio, faz parte da Europa central e foi considerada a cidade com melhor qualidade de vida do mundo.

Neste artigo encontrará algumas dicas para visitar Viena e os seus principais pontos turísticos.

O que visitar

Viena é uma cidade relativamente grande e com vários locais para visitar, monumentos e museus. Um dos seus pontos fortes é que para absorver o espírito desta cidade não é necessário gastar muito dinheiro a visitar atrações turísticas.

Infelizmente, só foi possível visitar Viena em 2 dias. Esta cidade tem muito a oferecer e não conseguimos ver tudo, mas ainda assim visitámos praticamente todos os locais mais importantes.

Se não tiver muito tempo para a visita, aconselho a percorrer a famosa Ringstrasse, a avenida mais famosa da cidade que rodeia o centro de Viena, construída em forma de anel (ring) no local onde se encontrava a antiga muralha da cidade. Nesta rua circular encontrará alguns dos edifícios mais importantes e se não estiver disposto a percorrê-la a pé poderá fazê-lo de tram.

Seguem as sugestões que despertaram maior interesse na nossa visita e que estão organizadas por distância de forma a economizar tempo:

1.Catedral de São Estevão (Stephansdom)

A catedral de São Estevão é o edifício religioso mais importante da cidade e situa-se na Stephansplatz, uma praça que é considerada o coração de Viena.

É um ótimo local para iniciar a visita à cidade e olhando para o mapa é possível perceber o porquê pois tudo gira à sua volta e está rodeada pelos principais pontos de interesse (delimitada pela Ringstrasse).

Nos arredores da catedral encontrará muitas lojas, restaurantes e cafés.

Foi construída em estilo gótico e coroada pela sua torre de 137metros de altura e em forma de agulha que permite que a catedral seja localizada de vários pontos da cidade.

Mas o que caracteriza esta catedral é o seu belo telhado com mais de 250mil azulejos coloridos.

No interior da catedral encontram-se os restos mortais de vários membros da família Habsburgo (família imperial europeia) e foi aqui que foi realizado o casamento e funeral de Mozart.

Através de uma escada estreita em caracol, é possível subir à torre e comtemplar a vista sobre o centro da cidade, mas na minha opinião, a vista sobre a cidade fica mais enriquecida se englobar esta catedral, por isso, em vez de subir à torre, sugiro subir até ao último andar do hotel Lamée (9ºandar) onde se encontra o Lamée Rooftop, um bar com uma vista privilegiada sobre a cidade e com a catedral de São Estevão na sua frente. Os preços das bebidas não são os mais baratos, mas são compensados pela vista. É possível reservar mesa com antecedência, no entanto, neste caso é obrigatório um consumo mínimo de 25€/pessoa.

foto: https://www.instagram.com/p/BxkaFsGimwr/

No primeiro dia em Viena fomos até ao Lamée Rooftop para ver o pôr-do-sol, mas infelizmente, encontrava-se encerrado pois tinha nevado durante o dia e o seu espaço é maioritariamente aberto.

Há visitas guiadas à catedral (5,50€), visitas guiadas às catacumbas (5,50€), visitas guiadas à torre (5,50€) e visitas com tudo incluído com audioguia (14,50€).

segunda a sábado: 06h00 – 22h00
domingos e feriados: 07h00 – 22h00

2. Graben & Café Central

Caminhando pela Stephansplatz, poderá cruzar para a rua mais ilustre e movimentada da cidade, Graben, repleta de lojas desde tradicionais às marcas mais famosas e caras. Numa das suas extremidades encontra-se a Igreja de São Pedro (Katholische Kirche St. Peter).

Atravessando esta rua, numa curta caminhada encontrará o Café Central de Viena, aclamado pela sua sofisticação. Nasceu em 1876 e se deseja sentir o espírito burguês desta cidade de outras épocas é aqui que deverá sentar nem que seja para consumir apenas um café.

O único problema é que este café é considerado um dos pontos turísticos da cidade e a fila para entrar e ter uma mesa poderá ser bem grande. No nosso caso, depois de esperarmos 20min a pé, a fila ainda se mantinha longa e então decidimos abandonar o local. Apenas foi possível observá-lo por dentro e comprovar a sua fama, beleza e elegância.

3. Palácio Hofburg

O seu estilo e designer exterior é digno de um verdadeiro palácio e durante muitos anos, foi aqui que residiu a família Habsburgo.

Hoje em dia, o palácio acolhe os antigos aposentos imperiais, uma igreja, uma capela, a Biblioteca Nacional Austríaca e museus, sendo os mais importantes o museu da imperatriz Sissi (Sisi Museum) e o da Prataria da corte.

A visita ao palácio poderá ser realizada com audioguia em vários idiomas e demonstra o esplendor da monarquia da família Habsburgo.

09h00 às 17h30

Atravessando este palácio chegará à Heldenplatz, uma praça que liga o palácio ao presidencial centro de congressos (Wiener Kongresszentrum Hofburg) e nos conecta a um dos parques públicos da cidade, o Volksgarten.

Desde esta praça, já é possível visualizar a Rathaus de Viena e ir caminhando até ela.

4. Câmara Municipal (Rathaus)

A Rathaus é um magnífico e antigo palácio que hoje em dia funciona como sede da Câmara Municipal.

Consideram que apenas vale a pena ser visitada exteriormente, e posso garantir que na época de Natal e durante o evento Wiener Eistraum é imperdível. À noite, o edifício da Rathaus fica todo iluminado assim como toda a zona envolvente.

Do final de Novembro até ao início de Janeiro poderá encontrar um mercado de Natal fascinante em frente a este edifício. Um verdadeiro paraíso de inverno com barraquinhas de Natal com comida e outros artigos e uma gigante pista de gelo de vários pisos.

A pista de gelo e algumas barraquinhas mantêm-se até ao início de Março (em 2020 encerra no dia 01 de Março). No local poderá alugar os patins e ainda há cacifos para guardar os seus pertences. Para mais informação visite o site oficial.

Enquanto passeávamos por este complexo, que ainda é bem grande, começou a nevar e foi maravilhoso.

5. Ópera de Viena (Staatsoper)

É a ópera mais conhecida a nível mundial e o centro nevrálgico da música desta cidade.

Poderá visitar o teatro da ópera através de visitas guiadas em grupos que incluem uma passagem pelo grandioso auditório e o salão de chá.

É comum que um bilhete para assistir um espetáculo numa ópera seja caro e na ópera de Viena também são vendidos bilhetes que podem rondar os 150€ (lugar sentado).

Contudo, em algumas situações poderá comprar bilhetes muito mais baratos para lugares em pé, mas não são vendidos antecipadamente sendo necessário enfrentar as filas de horas para os comprar.

A visita ao edifício não é muito cara (visita guiada + museu – 7,50€; museu – 3€).

terça a domingo: 13h – 15h (horário muito variável, aconselhável confirmar)

6. Naschmarkt

Criado durante o século XVI, o Naschmarkt é o mercado mais antigo de Viena e uma visita muito agradável e diferente.

Estende-se por uma longa avenida, desde a estação de metro Kettenbrückengasse até à estação Karlsplatz, maioritariamente formado por barraquinhas a céu aberto, mas com várias opções de lojas e restaurantes protegidos.

Está aberto de segunda a sábado e cada vez mais integra os roteiros de Viena. Aqui encontrará imensas lojas e barraquinhas com artigos frescos, lembranças e produtos artesanais, barraquinhas de comida para uma refeição económica, restaurantes, entre outros.

7. Hundertwasserhaus

Desperta o nosso interesse pela sua originalidade e tons coloridos. A Hundertwasserhaus é um complexo residencial, uma obra do arquiteto austríaco Friedensreich Hundertwasser que nos relembra Gaudí.

Com formas exteriores inusitadas e coloridas, o chão é ondulado e no interior dos seus quartos cresceram árvores que saem pelas janelas e representam uma possível mudança no mundo.

8. Prater

Não conseguia pensar em Viena sem mentalmente imaginar a sua roda gigante tão característica.

Esta roda gigante com 60metros de altura e com vagões vintage é um dos símbolos da cidade e pode ser encontrada no Prater, o parque de diversões mais antigo do mundo, que domina pelo seu charme vintage, mas muito bem conservado, mantendo alguns dos brinquedos e diversões originais.

A roda gigante testemunhou a 1ª e 2ª guerras mundiais, mas acabou por ser parcialmente destruída nos últimos dias da 2ª guerra mundial e apenas 15 dos 30 vagões iniciais conseguiram ser reconstruídos. As restantes cabines foram posteriormente colocadas no chão da roda gigante e funcionam como museu de história.

Uma visita muito recomendada se as condições meteorológicas o permitirem. A entrada é gratuita, poderá passear pelos seus espaços, apreciar as suas diversões e tem barracas de comida. Apenas pagará para entrar em algumas diversões, como é o caso da roda gigante cujo bilhete custa 12€ e inclui a visita à sua exposição.

15 de Março a 31 de Outubro: 10h00 – 01h00; Restaurantes e algumas atrações como a roda gigante estão abertos o ano inteiro

9. Palácio Schönbrunn (Schloss Schönbrunn)

Não é apenas mais um palácio em Viena, mas sim o palácio mais bonito e interessante.

O palácio Schönbrunn foi construído para ser a residência de verão da família imperial e o seu interior mantém o glamour e o esplendor da época.

Mas além de visitar o interior do palácio através de visitas guiadas, poderá perder-se pelos seus extensos jardins, muito bem cuidados e ornamentados que se vestem consoante a estação do ano. Na primavera, quando cobertos de flores, devem ser absolutamente maravilhosos.

No meio dos jardins encontrará uma fonte e por trás dessa fonte existe uma colina onde se encontra a Gloriette, uma sala envidraçada com dois alpendres laterais.

lago cogelado

Se continuar a caminhar e subir ao topo da colina terá uma vista fantástica sobre todo o complexo do palácio.

Deverá reservar algum tempo do seu dia para visitar com calma todo este complexo (Grand tour – 20€; Imperial tour – 16€; Gloriette – 4,50€).

09h00 às 17h30

10. Palácio Belvedere

Um palácio muito bonito, constituído por vários edifícios e rodeado por belos jardins com um lago.

Infelizmente, não houve tempo para visitar este palácio, mas a maioria dos visitantes refere que apenas vale a pena passear no seu exterior, apreciar a sua beleza e descansar nos seus jardins, cuja entrada é gratuita.

Já a visita ao interior do palácio não é muito interessante pois não mantém o seu interior apalaçado e funciona como museu para exposição de obras de arte (entrada palácio 14€).

Quando ir

O seu clima caracteriza-se por invernos muito frios (Dezembro e Janeiro) e verões muito quentes (Junho, Julho e Agosto).

As chuvas ocorrem durante todo o ano, no entanto, com maior frequência durante os meses de Verão.

Os meses intermédios acabam por ser uma boa opção por serem mais suaves.

Visitamos Viena em Fevereiro de 2019, não choveu, nevou e as temperaturas rondaram os 0º c (um frio aceitável), mas por sorte a neve e o frio não condicionaram a nossa visita à cidade.

Embora as temperaturas no inverno possam ser rigorosas, para mim esta cidade tem um encanto especial nesta época principalmente quando coberta de neve.

Como chegar

Esta cidade está muito bem conectada com o resto da Europa através do comboio e do avião.

Chegámos a Viena de avião e desembarcamos no seu único aeroporto, o Aeroporto Internacional de Viena (VIE).

Desde Portugal, existe uma companhia aérea low cost com voos diretos para Viena, a Laudamotion (companhia aérea Austríaca subsidiária da Ryanair). Como as nossas datas eram restritas, foi necessário recorrer a voos com escala para conseguirmos voar nas datas e horas pretendidas e o que mais compensou (tempo e dinheiro) foi a seguinte rota de voos:

  • Voos de ida:Porto – Madrid pela Ryanair; Madrid – Viena pela Laudamotion;
  • Voos de regresso: Viena – Barcelona pela Laudamotion; Barcelona – Porto pela Ryanair.

Todos os voos foram comprados diretamente no site da Ryanair e as escalas foram curtas.

Como ir do Aeroporto de Viena para o centro?

O Aeroporto Internacional de Viena fica a 18km do centro da cidade e alberga 3 terminais  T1 (que se divide com o T1A) e T2, muito próximos e acessíveis entre eles (é possível ir a pé de um para o outro). O T3 encontra-se encerrado.

Para chegar ao centro da cidade terá as seguintes opções:

  • CAT (City Airport Train) – o comboio expresso é a opção mais rápida (16min sem paragens); conecta o aeroporto à estação Wien Mitte no centro da cidade; o bilhete custa 12€/trajeto e 17€ o bilhete de ida e volta (para crianças até aos 15 anos é gratuito); entre as 05h30 e as 23h30;
  • Comboio Schnellbahn (S-Bahn) – não é o meio mais rápido, mas sim o mais económico; através da linha 7 a viagem até à estação Wien Mitt tem a duração de 25 min aproximadamente; o bilhete custa 4,90€/trajeto; entre as 04h30 e as 23h45;
  • Autocarro (Vienna Airport lines Bus) – operado pela empresa Postbus, mas uma opção não recomendada por ser mais caro e mais lento; conecta o aeroporto a várias zonas da cidade (Westbahnhof, Donauzentrum, Morzinplatz / Schwedenplatz); viagem direta com duração entre 35-50min; o bilhete custa 8€/trajeto ou 13€ o de ida e volta; das 05h00 até às 00h00;
  • Transfer privado ou táxi – opção mais dispendiosa (35€-40€ e pode variar), mas a mais confortável. Poderá compensar para 4 pessoas, uma vez que esse valor será a dividir pelas 4.

A opção a escolher deverá ter em conta a localização do seu alojamento e, se possível, com a melhor relação preço-tempo. Desde a estação Wien Mitte poderá apanhar e cruzar linhas de metro até à zona da cidade em que fica o seu alojamento.

Transportes

A rede de transportes públicos (metro, tram e autocarro) funciona muito bem, mas é importante saber que através do metro conseguirá chegar a quase todos os pontos turísticos da cidade e o autocarro é o meio menos recomendado.

Os preços dos bilhetes/passes são iguais para todos estes meios de transporte e os passes permitem utilizá-los de forma ilimitada durante a sua duração:

  • Bilhete simples – 2,40€
  • Passe 24h – 8,00€
  • Passe 48h – 14,10€
  • Passe 72h – 17,10€
  • Passe semanal – 16,20€

Há ainda a opção de comprar um passe especial (Vienna Ring Tram) que permite utilizar um autocarro turístico que percorre a via Ringstrasse e conta com 13 paragens em locais de interesse e com informação sobre esses lugares em vários idiomas. Poderá ser interessante, mas é mais dispendioso. Circula entre as 10h e as 18h e os preços variam consoante a duração do bilhete:

  • Ring Tram: 8€ – válido durante 30min e não permite modificar o meio de transporte;
  • 24H Ring Tram: 9€
  • 24H Vienna: 14€ – válido para o Ring Tram e restantes transportes públicos durante 24h.

Onde ficar

No geral, Viena não é uma cidade propriamente barata, mas se as reservas do alojamento forem programadas e realizadas com antecedência, facilmente encontrará preços para todas as carteiras.

A melhor zona para se hospedar é no centro da cidade, junto à Stephansplatz, mas a tendência é para os preços serem bem mais elevados.

Depois de muita pesquisa, encontrei o Hotel City Central, distanciado 900 metros da Stephansplatz e muito acessível tanto a pé como através de transportes públicos. Atravessávamos o rio por uma ponte e rapidamente a pé chegávamos ao centro.

O hotel é elegante, ao verdadeiro estilo Vienense, pequeno-almoço muito bom e a relação qualidade preço é óptima (70€/noite com pequeno-almoço).

Gastronomia

Durante a sua visita à cidade, aproveite para experimentar algumas das suas especialidades:

  • Sachertorte (Torta Sacher) – bolo de chocolate, mas uma especialidade cuja receita original é vendida no café do luxuoso hotel Sacher.
  • Apfelstrudel – Sobremesa tradicional que consiste numa tarte de massa folhada e maça. É vendida em muitos cafés espalhados pela cidade, mas aconselham a do Café Central.
  • Wiener schnitzel – o prato mais típico que consiste num panado acompanhado por batata frita. Uma opção sempre segura =)

Quanto à alimentação, os preços são bem elevados, mas vai depender daquilo que pretende para as suas refeições. Se fizer questão de ir para restaurantes tenha consciência que o preço será bastante elevado (ronda os 20€/pessoa).

Em alternativa, há vários locais de fast food espalhados pela cidade, que nestas situações temporárias e esporádicas são ótimas opções.

Outro conselho, é aproveitar para visitar o Naschmarkt e realizar a refeição numa das suas inúmeras barraquinhas de comida de rua com opções variadas e preços bem acessíveis.


A cidade de Viena foi o ponto de partida para realizar um sonho há muito tempo desejado por mim: visitar Hallstatt, uma vila dos alpes Austríacos. Conjugar as duas visitas foi excelente e muito recomendado.

Hallstatt

4 opiniões sobre “Viena: dicas de viagem na cidade-música

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s