Grécia: roteiro de viagem das Ilhas Gregas a Atenas

Se há país que não cansa é a Grécia, poderia visitá-lo anos e anos seguidos e tenho a certeza que ainda teria muito para ver e descobrir.

Localizado na região sudoeste da Europa, conhecida por Balcãs, é um país formado por um território continental no sul das Balcãs e por inúmeras ilhas, as tão famosas Ilhas Gregas.

E só pelas ilhas há tanto para nos perdermos. Estima-se que são cerca de 6000 ilhas/ilhéus, das quais apenas 227 são habitadas e o mais impressionante é que, apesar do ambiente Grego pairar em todas, cada uma tem as suas próprias características que as tornam únicas e especiais. Recheadas de boas praias, paisagens encantadoras e cenários idílicos são perfeitas para umas férias de verão, aliando uma nova cultura e locais para visitar.

Para completar, só mesmo uma visita pela Grécia Antiga, daí ser perfeito conciliar a cidade de Atenas com uma ou várias Ilhas Gregas. Foi com esta linha de pensamento que criei o nosso roteiro de viagem que passou por Santorini, Mykonos, Creta e Atenas.

Quando ir

A melhor época para visitar a Grécia é de Abril a Junho, Setembro e Outubro. Julho e Agosto são os meses preferidos dos turistas em que as temperaturas atingem valores bem altos.

A escolha do mês de Setembro para a viagem foi acertada e sem dúvida que aconselho. O tempo esteve ótimo, a temperatura da água amena e o turismo de massa diminui significativamente em relação à época alta (Julho e Agosto).

Dia 1: voos internacionais

Nada melhor que utilizar um motor de pesquisa de voos como a Momondo para termos uma noção de quais as possíveis rotas de voos para a Grécia e, mais especificamente, para que local da Grécia. Foi exatamente este o princípio, depois de definir os locais que queria visitar, comecei a procurar os voos e criei a rota conforme os preços mais acessíveis e de forma a minimizar o tempo perdido em viagens. Inicialmente viajámos para Atenas, por isso, podíamos ter iniciado a visita por lá, no entanto, como compensava um voo de regresso de Atenas e o voo de Santorini era mais barato naquela data, optámos por apenas fazer escala em Atenas e iniciar o roteiro por Santorini. A rota de voos foi a seguinte:

– voo Porto-Barcelona pela Ryanair;

– voo Barcelona-Atenas pela Vueling;

– voo Atenas-Santorini pela Ryanair.

No primeiro dia, como a escala em Barcelona ainda foi bem longa, optámos por visitar a cidade e conhecer o que não foi possível na primeira vez que estivemos em Barcelona.

Dia 2: Santorini

Chegámos a Santorini bem cedo pela manhã e à nossa espera encontrava-se o transfer providenciado pelo hotel em que ficaríamos hospedados.

Do aeroporto até ao hotel, a viagem não é muito longa, mas foi suficiente para nos avivar os olhos e transformá-los em azul e branco, o momento em que realmente me apercebi que estava em Santorini.

Perissa foi a região escolhida para a hospedagem e depois do check-in no hotel foi tempo de explorarmos a região envolvente.

Dia 3: Santorini

O dia foi dividido entre a praia de Perissa e uma visita no final da tarde à capital da ilha, Fira.

Dia 4: Santorini

Mais uma vez, aproveitámos para fazer praia em Perissa durante a manhã e visitar durante a tarde. Desta vez, percorremos a zona desde Fira a Imerovigli e terminámos o dia em Oia a celebrar o seu famoso pôr-do-sol.

Dia 5: Santorini

Um dia dedicado a uma rota de mota pelas melhores praias da ilha, desde a famosa Red Beach à Vlichada, terminando o dia em Kamari.

Dia 6: Mykonos

No final da manhã, realizámos o check-out no hotel que nos providenciou um transfer até ao porto de Athinios onde apanhámos o barco que nos levaria até Mykonos. Comprámos o bilhete on-line no site da própria companhia Hellenic Seaways.

Fiquei a contemplar Santorini à medida que o barco se afastava até que se perdeu de vista. Senti que deveríamos ter ficado mais tempo na ilha.

Ao fim de 2h30, desembarcamos em Mykonos e a saudade foi logo preenchida por outra ilha magnífica, igualmente bela, mas bem diferente.

Providenciámos o transporte até ao hotel em Platis Gialos e depois do check-in aproveitámos para conhecer o centro da ilha conhecido como Chora.

Dia 7: Mykonos

Grande parte do dia foi passado a realizar Snorkeling na praia Psarou, considerada a melhor da ilha. Terminámos o dia a percorrer, mais uma vez, as belas e características ruelas de Chora.

Dia 8: Mykonos

Um dia mais dedicado à praia, uma das melhores coisas da ilha. Desta vez, optámos por ficar na praia Platis Gialos junto ao hotel, uma das melhores praias.

No final da tarde realizámos o check-out. Já no cento da ilha, não dissemos adeus a Mykonos sem antes assistir ao famoso pôr-do-sol junto aos moínhos da ilha. Depois do jantar, foi hora de embarcarmos num barco que nos levaria até Atenas numa viagem de quase 5horas. Comprámos o bilhete on-line no site da própria companhia Hellenic Seaways.

Dia 9: Creta

Desembarcamos em Atenas no porto de Piraeus e seguimos diretamente para o aeroporto de Atenas em autocarros próprios. Mesmo sendo de madrugada não houve qualquer problema com o transporte nem insegurança, visto que, como nós havia imensos turistas a essa hora.

O nosso voo pela Ryanair saiu bem cedo de Atenas e às 8h da manhã já estávamos a desembarcar em Creta. No aeroporto, pegámos no carro que já tínhamos previamente alugado pela internet e partimos à descoberta da ilha, passando pela cidade velha de Chania, mas sempre com o pensamento direcionado para uma das paisagens mais lindas que vi, a praia de Balos.

Depois de descansarmos e aproveitarmos bem a praia, infelizmente, tínhamos que regressar ao aeroporto, numa viagem de 1h30, entregar o carro alugado e embarcar por volta das 21h num voo de 1h de regresso a Atenas pela Ryanair. Sim, foi uma loucura, passámos menos de 24 horas nesta ilha, mas num próximo artigo sobre Creta espero conseguir mostrar como valeu bem a pena.

Quando desembarcámos em Atenas, dirigimo-nos para o hotel para realizar o check-in e descansar.  

Dia 10: Atenas

Foi apenas um dia em Atenas, por isso, decidimos aproveitá-lo bem e começar o dia a percorrer as ruas da cidade em direção à nossa principal atração, a Acrópole de Atenas, rica em história e locais para visitar, onde passámos o resto da manhã.

Durante a tarde, passeámos pelo bairro mais famoso da cidade, Placa, junto à Acrópole, até Monastiraki o mercado de rua mais animado situado aos pés da Acrópole.

Apesar de ser apenas um dia, deu perfeitamente para conhecer o que mais queríamos e andar com calma. Já no hotel, disfrutámos de um jantar no terraço panorâmico do seu restaurante, com uma vista sobre Atenas iluminada pela Acrópole que à noite ganha outro brilho.

Dia 11: voos internacionais

Com um voo bem cedo, foi hora de nos despedirmos da Grécia com o desejo de um dia voltar.

A rota de voos de regresso foi semelhante à de ida com a diferença de que agora a saída foi apenas de Atenas:

– voo Atenas-Barcelona pela Vueling;

– voo Barcelona-Porto pela Ryanair.


Um roteiro de viagem que não me importava nada de repetir. Para mais informações sobre cada uma das Ilhas e Atenas, poderá ler aqui.

3 opiniões sobre “Grécia: roteiro de viagem das Ilhas Gregas a Atenas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s