Amesterdão: dicas de viagem

Prima pela sua beleza e por ser diferente de todas as outras. É muito mais que um monumento ou atração turística. Tem vida própria e é o símbolo universal da tolerância e liberdade.

Esta cidade Holandesa é formada por mais de 1000 pontes e 75km de canais de água, por isso, é chamada de Veneza do norte. Não vale a pena fazer grandes roteiros porque, mais importante que visitar Amesterdão, o que é preciso é “perder-se” em Amesterdão. Além dos pontos turísticos mais comuns, a diferença está em caminhar pelas inúmeras pontes e ruas ao longo dos canais, descobrir encantos ao virar de uma esquina e tentar entrar no espírito holandês.

Qual a melhor época?

Mercado das flores (Bloemenmarkt)

Tenho a certeza que vale a pena visitar Amesterdão durante todo o ano, mas é certo que a época mais procurada é a primavera, conhecida como a época das flores, principalmente das tulipas, consideradas como a flor nacional da Holanda. Maaas…acaba por ser também a época mais cara, por isso, se realmente quer conhecer Amesterdão na primavera e por um preço acessível, o ideal é programar a viagem com muita antecedência.

Como chegar?

Em Maio de 2018, viajei para Amesterdão (aeroporto Schifol) com saída do Porto, através da KLM. Na saída do aeroporto, o autocarro 197 vai para o centro de Amesterdão (zona: Museumplain; duração de 40min; preço de 10€ ida e volta). Pode optar pelo comboio com direção à estação central, cujas plataformas são dentro do aeroporto e pode comprar os bilhetes nas máquinas existentes. É o meio mais rápido e conveniente (duração de 15min; preço a rondar os 11€ ida e volta).

Outra opção para o voo, é viajar do Porto para Eindhoven, pela Ryanair. Neste caso, é ainda necessário apanhar um autocarro direto, desde o aeroporto de Eindhoven para o centro de Amesterdão, com paragem final perto da estação central, com duração de 1h45min. Ao preço do voo, é ainda necessário somar o preço do autocarro, 24€/viagem ou 40€ ida e volta, o que nem sempre pode compensar na sua totalidade. Foi o meu caso, por isso optei por um voo direto pela KLM. Mas se conseguir um preço mais barato na Ryanair, porque não?

Como as principais atrações turísticas estão localizadas numa aérea que permite percorre-las a pé, quase não utilizamos transportes em Amesterdão. No entanto, para maior comodidade devido às malas, optamos por utilizar a Uber, desde a estação central para o nosso hotel e vice-versa e o valor rondou os 6€ por viagem.

O preço do bilhete de transporte durante 1h custa 3€ e o bilhete de 24h custa 7,50€ e é válido para utilizar no metro, tram (elétrico) e autocarro. Ao contrário de outras cidades da europa, o metro não é interessante para quem quer apenas conhecer o centro histórico e sim para quem quer chegar a alguma zona mais periférica da cidade.

O que fazer em Amesterdão?

1.Conhecer a Estação central (Amsterdam Centraal)

Está localizada numa praça muito gira e movimentada (Stationsplein). Arquitetonicamente em estilo neorrenascentista, é a estação mais bonita que já vi. Liga Amsterdão a toda a europa através do comboio ou de autocarro. Pode ser considerada um ponto de partida na viagem pois liga-nos à cidade através de todas as linhas de tram (elétrico) e uma estação de metro. Está interligada a um centro comercial com lojas e restaurantes e nas suas traseiras encontramos os terminais de ferry-boat.

2. Visitar o Rijksmuseum

O Rijksmuseum é o museu nacional e considerado o melhor da Holanda. Tem um estilo que vai ao encontro do da estação central pois foi construído pelo mesmo arquiteto. Localizado na praça dos museus (Museumplain), onde ficava o famoso letreiro I AMSTERDAM. Desde Dezembro de 2018, que o letreiro se tornou móvel e desloca-se por toda a cidade, uma medida implementada devido ao turismo de massa naquele local e para estimular os turistas a explorarem outros pontos da cidade. A praça, cercada por jardins, continua linda e merece uma foto na mesma.

A quantidade de turistas em frente ao letreiro!

Todos os dias, das 9:00 às 17:00h.

3. Passear pelo Vondelpark

Fica perto do Rijksmuseum, é o pulmão verde da cidade e o parque mais visitado. Ideal para caminhar, andar de bicicleta, praticar atividade física, comer ao ar livre ou relaxar sentado em algum dos seus cafés com terraços ou no jardim.

4. Perder-se no Bairro Jordaan e fazer um passeio de barco pelos canais

É o bairro mais charmoso e a cara de Amesterdão. Por isso, o ideal é caminhar e explorar pois não faltarão pormenores e locais bonitos para fotografar. Parece que cada esquina, cada rua e canal são perfeitos para uma foto.

Foi a partir do bairro Jordaan que realizamos o nosso passeio de barco pelos canais de Amesterdão. Há imensas empresas que realizam estes passeios, mas optamos por comprar o bilhete com antecedência no site Get Your Guide, para garantir vaga no dia e hora que pretendíamos e porque confiamos.

O barco saiu da rua Prinsengracht 277, onde se encontra a agência escolhida Tours&Ticket. É necessário chegar com 20min de antecedência na agência para trocar o voucher eletrónico por um bilhete e o preço foi 13€ por pessoa. O passeio dura 1hora, tem a opção com guia e é altamente recomendável. Uma forma de contemplar a arquitetura tão típica e a beleza de Amesterdão através dos canais, perceber um pouco da sua história, do seu dia-a-dia, ver bem de perto as casas flutuantes, fotografar e desfrutar.

De todos os canais da cidade existem os três mais importantes, considerados Património Mundial pela UNESCO: Prinsengracht, Keizersgracht e Herengracht. Quanto às casas flutuantes, tão características e “fofinhas”, atualmente existem mais de 2500 espalhadas pelos canais e acabam por ser uma alternativa para os habitantes por serem mais baratas que as casas tradicionais mas com maior custo de manutenção e imposto. Devido ao valor elevado dos terrenos, as casas tradicionais são construídas de forma estreita e comprida.

5. Visitar a Casa Anne Frank

Em pleno coração de Amesterdão, no bairro Jordaan (rua Prinsengracht 277) a Casa Anne Frank é um dos edifícios mais significativos da história da cidade onde viveram escondidos Anne Frank e a sua família judia durante a invasão nazista na Segunda Guerra Mundial. Foi lá que Anne Frank escreveu o seu diário que narra estes acontecimentos e que em 1947 foi publicado.

Atualmente transformado em museu, a visita à Casa Anne Frank é uma das atrações mais disputadas cujos bilhetes só podem ser comprados no site oficial, por isso, aconselho a comprar com antecedência pois esgotam muito rápido.

De 1 de abril a 31 de outubro: todos os dias, das 9:00 às 22:00h
De 1 de novembro a 31 de março: todos os dias, das 9:00 às 19:00h

6. Confirmar a fama do Bairro Vermelho

O Bairro Vermelho, mundialmente conhecido como Red Light District, destaca-se pela quantidade de neons e luzes vermelhas que decoram as suas vitrinas onde mulheres se expõem como um negócio. Rodeia o centro medieval (Da Walen) e é o bairro mais visitado pelos turistas que têm curiosidade e querem confirmar. Na Holanda, a prostituição é legal desde 1911 e as mulheres alugam a vitrina e pagam os seus impostos. É uma zona permanentemente cheia de turistas e bastante segura inclusive à noite, altura em que ganha mais vida. Apesar da curiosidade, deve ser uma zona visitada com respeito sendo proibido fotografar as vitrinas diretamente.

7. Alugar uma bicicleta

Quando se conhece Amesterdão é notório que a bicicleta é o meio de transporte preferido dos seus habitantes. A dificuldade em circular de carro pelo centro da cidade e o alto custo do estacionamento fazem com que os holandeses pensem duas vezes antes de usar ou comprar um carro.

As ruas estão devidamente preparadas com infraestruturas privilegiadas para estes veículos de duas rodas e é difícil resistir à tentação de alugar uma bicicleta e pedalar junto aos canais. É a melhor forma de se locomover de modo Holandês e misturar-se com o animado tráfego de bicicletas. É surpreendente a quantidade de bicicletas que circulam pelas ruas da cidade em relação aos carros, talvez numa proporção de 10 para 2.

Alugamos a bicicleta por 12€ (com seguro incluído), diretamente na loja Black Bikes. Existem muitas lojas espalhadas por toda a cidade.

8. Caminhar pela Praça Dam

Palácio Real

É a praça mais importante por ser o ponto de partida do qual foi criada a cidade. Está rodeada por monumentos e edifícios históricos dos quais se destacam o Palácio Real e o Monumento Nacional. O cento da praça tem muita animação e artistas.

9. Relaxar na Rembrandtplein

Praça que homenageia um dos pintores holandeses mais importantes de todos os tempos, muito animada, rodeada de hotéis, restaurantes, cafés e bares. Perfeita para parar, descansar numa das muitas esplanadas e fazer uma refeição a um preço mais acessível mas dentro do espírito da cidade. Foi nesta praça que ficamos hospedados. Não é o mais central possível, mas está muito bem localizada e com fácil acesso ao centro.

Nesta praça, também podemos encontrar alguns Coffee Shops, espalhados por toda a cidade. À primeira vista parece um café ou um bar comum, mas a diferença é que são cafés/bares onde se pode comprar e consumir drogas leves cuja venda está legalizada na Holanda. O seu consumo pode ser através de cigarros, cachimbos, chá, bolachas e bolos. Mesmo que não queira consumir, pode entrar para simplesmente tomar um café.

10. Comer um Stroopwafel (Lanksroom)

É um doce típico Holandês, uma bolacha caramelizada formada por duas partes que são unidas com caramelo no meio. Provamos o Stroopwafel caseiro da Lanksroom (pastelaria com vista privilegiada para os canais) e aprovamos. Apesar de ser uma simples bolacha há forma correta para a comer. É aconselhável comer juntamente com um café, mas devemos colocar a bolacha em cima do café quente e esperar 2 minutos até ficar mais mole e derreter ligeiramente o caramelo. Bom aproveito!


A partir de Amsterdão ainda fomos visitar a pequena aldeia de Zaanse Schans, a 22km, a imagem da Holanda pelos seus moinhos Holandeses tão característicos. Mais informações, ler este artigo.

2 opiniões sobre “Amesterdão: dicas de viagem

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s